quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Alucinações

Exatamente hoje lembrei que falta um mês para voltar pra casa. tenho saudades de minha casa, da minha baixinha, dos moleques. do meu quintal. ando meio macambuzio, é verdade. talvez o cansaço, talvez a distância mesmo de casa. pode parecer um contracenso, mas eu sou muito caseiro. não no sentido de ficar trancado em casa, mas no sentido de ter pra onde voltar. eu e monalisa temos olhado mais pra nossa casa. ajeitando, colocando coisinhas em seus lugares, imprimindo nossa personalidade na casa, um lugar onde os meninos curtem um bocado.
Para se ter uma idéia da minha loucura, passei dois dias em alter do chão e quando retornei ao hotel, deitei na cama e pensei: finalmente to em casa.
Depois da batalho dos 300 de ontem, o dia de hoje pode ser considerado light. rodamos uma alucinação do Cauby entre um grupo de carimbó. a sequencia é a continuação da de ontem. depois de ver Lavínia com o marido, Cauby vai a casa de seu amigo Vicktor Laurence e toma um porre de absinto, ao andar pelas ruas desertas, ele ouve um som de carimbó vindo ao longe e quando passa por um terreiro vê um grupo de carimbó evoluindo. a cena vai ser trabalhada na finalização para que tudo se confunda entre realidade e alucinação.
Ah, sim. no início da noite, Camila Pitanga apareceu enquanto o grupo ensaiava (de verdade) para uma disputa que vai haver de manhã. advinha o que aconteceu? no inicio tava tranquilo, somente alguns curiosos, mas foi só um flash pipocar que começou o tumulto. o pessoal começou a avançar, e a Camila foi gentilmente convidada a deixar o set.
Depois disso conseguimos limpar o set e deixar somente o grupo de carimbó. rodamos tres takes com Lula Araújo serpenteando com a penélope (câmera) entre as meninas, e que balançado. as meninas são umas diabas, dançam lindamente num balanço que parece a maresia do rio. a cena ficou linda mesmo.
A sequencia e o alvoroço de ontem ainda estava na nossa memória. hoje no café da manhã, a Camila ainda comentava estupefata o que rolou ontem. no início levamos a sério, mas, claro, tudo virou sacanagem em nossos comentários, e cada um contava a sua versão do que tinha visto no tumulto de ontem. demos boas gargalhadas. a melhor veio da própria Camila. "Uma mocinha se aproximou de mim e disse, com convicção: um dia a gente ainda vai contracenar juntas. eu respondi: estou torcendo por isso, amiga. e ela começou a desfazer a cara de convicção e um choro foi transfigurando o rosto dela e ela saiu correndo no meio da praça" sensacional.
No jantar, eu e o beto comentávamos a cena. eu estava preocupado se tinha salvado o plano, e ela me disse que o segundo take foi o melhor. ele me confesou que errou na estratégia, ficou meio agoniado e quase em pânico finalizou a sequencia. só relaxou mesmo hoje a tarde quando revisou o plano e percebeu que um take todo valeu. uma base de 3min de plano. que bom, eu pensei.
foi a primeira vez que vi o beto preocupado com o resultado de uma sequencia rodada.
agora estou só no hotel. na tv um cara com cara de nerd, diz que é artista plástico que pinta baratas. uma sucessão de baratas em close na Tv. em frente a Tv um chocolate mordido pela metade está cheio de formigas. tenho tentado transformar o meu quarto de hotel. preguei papeis na parede, um rolo de negativo, uma foto dos meninos. comprei uma orquídea na feira de artesanato. acho que ela não vai durar muito tempo.
tá tudo estranho hoje
muito estranho.
vou beber.

4 comentários:

ageise disse...

Perceber sua agonia ao mesmo tempo me deixa triste e pensativa, seria alegria fazer o que gosta e em troca ser um personagem da tristeza, movido pela saudade de quem se ama? Na entrevista de ontem além de render um texto poético, inspirador, letras e áudios transcritos para um computador, ouvi... Ouvi... E ouvi por muitas vezes de verdade.
Suas palavras retratadas na entrevista, por um dia paralisaram meus pensamentos e idéias, sobre o futuro incerto de minha profissão jornalística. Você sem perceber me fez ser melhor e mesmo por ser repetida a frase é preciso ser HUMILDE, me ensinou como mestre que nem sempre os gritos e fotos vai me tornar alguém assim tão importante se eu não for alguém assim HUMILDE...
As palavras ditas nas horas certas em momentos imprevistos valem mais, lembro que a pauta era: Entrevistar um artista de Teatro, ai eu pensei e sai à caça da pauta, então lembrei porque não ligar para Adriano Barroso, porque não ele? Por minutos pensei também, ah! Ele não vai me atender. Mas ontem me perdoe, mesmo sem gostar de elogios vou escrever que você é o melhor diretor que me ensinou que humildade não se explica se ensina com atitudes que ao longo da vida é mostrado. Ainda bem que tudo está gravado.... Valeu pela entrevista que por sinal me rendeu muito kkk

ADRIANO BARROSO disse...

Nossa que delicadeza. obrigado, obrigado mesmo. que saber que posso contribuir de alguma forma com minha arte, direcionei tuda a minha vida para isso e isso me interessa muito. quanto a meloncia, nao se preocupe, é só um jeito possível de saudar a vida.
bjs

monalisa disse...

"Leio teu blog todos os dias, só pra matar um pouquinho da saudade, mais acontece o contrário, a saudade almenta. Em meio a organição da casa e as mudadnças que começarei a fazer para a sua chegada, sempre me pego sentindo a sua falta, mais logo vem uma idéia nova pra porta do banheiro, onde vou colocar o armário, um objeto diferente ou se paro tudo e vou te encontrar. Teu diário está ótimo, cheio humor e de informações bacanas, experiência unica. Continua firme e forte COMPANHEIRO, não deixa a saudade te alucinar, cuda do teu quarto como se efosse tua casa, joga o chocolate fora e limpa as formigas, cuida da orquídia, deixa ela vivinha e traga-a com você como lembraça.
Eu te amo e te espero.
Muita merda.

J.BOSCO disse...

já matamos um pouco da saudade no Biras bar, apesar daquela camisa do botafogo na minha cara...rsss
Agora falta o quintalzão com algumas pérolas meu amigo Barrosão.
abs