segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Eu receberia... part 3 - 9-8-2010

A batalha dos 300.

Hoje o dia foi moleza pra mim. Fui destacado para acompanhar a D. Onete a Alter do Chão, desculpa aí. rsrsrsr. D. Onete foi escalada para o filme para fazer uma sequencia de um show que acontece na praça da cidade fictícia que estamos montando (através de recortes de santarém) onde Cauby vê Lavínia junto com o seu Marido, o pastor. morrendo de ciúmes vai a casa da Victor Laurence e toma uma porre.
D. Onete foi escolhida por ser a mulher forte que é. produzi aqui em santarém uns músicos para acompanhá-la, o figuraça do Chico Malta, grande compositor de Alter do Chão. ela chegou a santarém na madrugada de ontem e hoje vim para Alter do Chão acompanhar os ensaios, que continuam amanhã pela manhã, á tarde voltaremos para Santarém e na quarta feira filmaremos a sequencia. sequencia que ficou conhecida por nós como a batalha dos 300.
Batalha porque tive que produzir 300 figurantes para esta sequencia, uma missão nada fácil pois enfrentamos algumas muitas dificuldades. primeiro, por comando do Beto Brant não podemos divulgar na imprensa nada o que faremos por aqui, para não despertar a curiosidade das pessoas. as entrevistas só serão concedidas no meio deste mês. então meu trabalho teve que começar pelo boca a boca. primeiro entre os grupos de teatro da cidade, depois pelos dançarinos de carimbó, depois com os grupos de idosos e depois ainda através dos amigos que fizemos por aqui. foram momentos de tensão. eu e minha equipe passamos desde sexta feira correndo para produzir os 300 figurantes que ainda tinha que ter uma proporção entre homens e mulheres, jovens, adultos, maduros, etc.
E mais um problema foi a pessima impressão que o Thainá 3 esta deixando na cidade. segundo alguns figurantes os caras destratam a galera da cidade. então todo mundo só vai pra figuração se for paga (que nao é o caso dessa festa, a idéia é pagar lanches, comidas tipicas etc por conta da produção). O que é uma pena, pois no filme que estamos fazendo, a proposta dos diretores e manter a digital da cidade. todos os figurantes são muito bem tratados. antes de cada cena, eu e Luciana Batista (asistente de direção) fazemos questão de ar o bom dia e explicar pormenorizadamente qual a sequencia que rolará naquele dia e o porquê deles terem sido escolhidos para fazer tal sequencia.
Mas conseguimos vencer a batalha dos 300. Nosso cadastro de figuração ate a data de hoje ja chega a 385 pessoas. mas a guerra continua, já que eu e minha equipe teremos que organizar essa galera toda. e tudo tendo camila pitanga e gero camilo entre os mortais. toda a equipe está apreensivo por esta sequencia, que é, sem duvida a mais punk de todas. além dessa ainda teremos a camila pitanga andando entre as ruas comercio, uma manifestação no meio do rio arapiuns (serão 3 dias dormindo no barco para a equipe) e uma festa de casamento em itaituba, mas nada se compara a esta sequencia. estamos na torcida que dê tudo certo.
Mas para me garantir tive que desobedecer a direção.
Corri para arranjar stand-ins da camila pitanga, do gustavo machado, do zecarlo machado e do gero camilo. (stand-ins são atores que se parecem com os atores principais e trabalham na marcação de cena, luz etc. para não desgastar os atores principais) O Beto Brant ja havia dito que não queria isso, que sentia como se a gente estivesse enganando as pessoas da cidade. que era deselegante, um lorde. mas ainda assim, para me garantir, fui atras dessas pessoas sem ele saber. Porém ele mesmo já havia sentido o drama que é ter uma atriz com a popularidade da Camila Pitanga nas cenas em que fizemos em um foto no centro da cidade. Mesmo a sequencia sendo interna, uam multidão se espremeu do outro lado da rua para ver a camila. e eles sentiam, sei la como, quando o diretor cortava a câmera e ficavam gritando do outro lado da rua. "ô Camila, cadê você, eu vim aqui só pra te ver". Para acalmar os ânimos a camila teve que ir à rua várias vezes para deixar-se ser fortografada, deixando em polvorosa a produção de set, e, sobretudo, a mim, pois sou o responsável por ela no set. uma espécie de "segurança" como o pessoal da cidade me chama. faço o papel do chato que diz quando chega de tirar foto. o mesmo papel que fiz com a dira paes no ribeirinho do asfalto em belém. chato, logo eu o chato. hahahahah.
Aliás, o Beto tem essa faculdade incrível de respeito às pessoas e mais ainda, de adequar o filme ao que a cidade apresenta. um belo exemplo disso se chama Magnólio.
Magnólio é um cara que encontramos na cidade, ele é o palhaço de um circo incrível, que está ligado a um projeto de uma ong, o Saúde Alegria, que leva assistencia médica a ribeirinhso menos afortunados num navio que tem até U.T.I. o trabalho dele é, através das palhaçadas, ensinar noções de higiene pessoal às crianças. incrível.
E o Magnólio é um cara incrível, primeiro na aparência. ele é branco queimado de sol, tem vitiligo pelo corpo todo, usa um cabelo esbranquiçado pelo tempo e que parece o bozo e tem uma voz que parece que fez traquiostomia.
Quando o Beto conheceu esse cara e conheceu a história dele (o cara fez teatro em sao paulo na década de 70, trabalhou com grandes nomes como Paulo Autran, Ítalo Rossi, e muitos etcêteras, veio parar en satarém por motivos humanitários, viaja o mundo inteiro e é meio bruxo, maconheiro pra caralho também). quando o Beto se aproximou dele, acabou modificando um personagem do roteiro para caber nesse cara.
Chico Chagas é um personagem que aparece no livro do Marçal Aquino como um matador de aluguel, que fica amigo do Cauby, e ,exatamente em nome dessa amizade, não aceita o "trabalho" que oferecem pra ele de matar o Cauby, acaba indo a casa do fotografo para avisá-lo que querem matá-lo e aconselha a ele a sair da cidade. O personagem, no filme, virou um palhaço de circo, o Cauby chega a participar de um dos números dele durante o filme (essa é mais uma sequencia que tive que produzir 200 figurantes crianças. rsrsr)
mas não é du caralho?

3 comentários:

Noely disse...

segurança da Camila Pitanga...agora imaginei vc com "cara de brabo" afastando os curiosos do local somente com aquele olhar escroto...rsrsrsrsrsrs

Fernando disse...

Putz cumpadre, que experiência - eu só aqui torcendo para você vire logo um profissa de cinema e sai desta terra que só nos desgata e não nós valoriza. Fiquei lendo aqui e sem dúvida emocionado porque tu és meu irmão de coração. Manda bem aí. abração
Fernando

ADRIANO BARROSO disse...

po valeu, cumpadre. sei que sua torcida é sincera.mas temos muito o que fazer tambem nessa terra. bora virar do avesso.